Máquina de matar insetos / Insect killing machine / Insektenvernichtungsmaschine

Por uma rara e feliz coincidência conseguimos montar uma máquina completa de matar formigas, produzida entre o final do século XIX e Início do Século XX. Salvo alguns acessórios como mangueiras, conectores, presilhas e bico de saída, os demais componentes são originais.

Depósito de veneno C. A. Berger

Corpo e tampa em ferro fundido, parafuso do ferrolho e suporte da tampa em ferro forjado à martelo manual, eixos das partes móveis e tarugos de fixação da alça em ferro rebitado,  roscas de entrada e saída medindo ½”-14 e ¾” -14. Esta parte do conjunto pesa 8,6 kg, que somado ao aparato de bombeamento de ar (perdido) deveria pesar ao menos 20kg, nada prático para transportar.

O princípio de funcionamento já foi descrito nesse post, onde mostramos uma peça da segunda metade do século XX:  https://museudosilvio.com/2018/06/17/formigueira-sulphur-bellows-soufflet-a-souffre/.

As inscrições legíveis desta peça nos fornecem algumas pistas:

Sobre a tampa: “DEVASTADORA DOS INSECTOS” e “ C. A. BERGER”

No interior da tampa:    “JOSÉ BECKER e IRMÃO”. Encontramos uma referência a essa empresa na atividade de “estaleiros” em artigo publicado por Evangelia Aravanis – A industrialização no Rio Grande do Sul nas primeiras décadas da República: a organização da produção e as condições de trabalho (1889-1920)

Na parte inferior da peça: “_ _ _ ARIA” “DE” “SCHRODER” provável FERRARIA.  Podendo significar a indicação do tipo de serviço realizado por José Becker e Irmão.

Também pode-se ler “Porto Alegre”, indicando onde foi produzida.

Provavelmente foi produzida no final do século XIX. Em vista que a fundição de ferro iniciou-se oficialmente logo após a vinda da família Real Portuguesa para o Brasil, não se concebe imaginar que na primeira metade do século XIX este aparelho tenha sido produzido, especialmente em Porto Alegre, que ficava muito longe da Coroa. 

Um fator que situa a peça em data posterior a 1860 é que foi na segunda metade do século XIX que se formou uma colônia de imigrantes alemães em Porto Alegre. Considere, ainda, o leitor que o Brasil teve um período de infestação da formiga Saúva (cortadeira), no século XIX, exigindo a criatividade dos brasileiros para resolverem esse problema. A frase “ou o Brasil acaba com a saúva ou a saúva acaba com o Brasil” é atribuída ao naturalista francês Auguste Saint-Hilaire que realizou expedições no Brasil naquela época.

Uma publicidade de 1899, do Rio de Janeiro, dá conta de uma máquina de matar formigas tendo esta peça similaridade com um dos componentes daquela máquina.

A grafia “insectos”, embora abolida no acordo de 1990, na prática, teria sido abolida já em 1943. Então, pode-se situar a peça em data anterior a 1943. Mas quanto tempo antes? Em vista do peso e dos materiais utilizados, não imagino que seja posterior a 1910.

Data:                  Provavelmente entre 1860 e 1910

Origem:             Porto Alegre – RS – Brasil

Fabricante:         C. A. Berger deve ter produzido o conjunto

José Becker & Irmão deve ter fundido o corpo e a tampa

Estado atual:     Não testado.

Curiosidade:      No museu municipal de Itaúna-MG, há uma máquina equivalente, quase completa (falta o acessório de saída), conforme se pode ver nessa foto: https://www.itauna.mg.gov.br/imgeditor/file/maquina_matar_formiga.pdf

Ref.:      369-12-A

Bomba de ar Bataillard

Esta bomba de ar foi produzida pela Empresa Formicida Bataillard Ltda. Em 1892 essa empresa obteve a patente da “mistura formicida Bataillard”. Em 1905 funcionava na Rua 15 de Novembro – Galeria Cristal, n. 7. Com a caixa postal n. 521. São Paulo – SP.  Em junho de 1908, mudou-se para a Rua Quintino Bocayuva, 31-A, na mesma cidade. Em abril de 1936 situava-se na Rua Florêncio de Abreu, n. 103, 135 e 184, também em São Paulo-SP.

Esta peça foi produzida em algum momento entre 1892 e 1920. Estrutura em ferro laminado em T, com haste de bombeamento em ferro forjado, seu conjunto está fixado por rebites, significando que não houve processo de soldagem dos componentes, nem uso de parafusos. Isso leva a idade da peça para o início do século XX.

Curiosidade: Na publicidade de 1905 consta “apparelho melhorado”, mostrando o tambor de veneno com um manete que se parece a uma bomba de ar. Na verdade, a bomba de ar maior não possuía capacidade suficiente para bombear o veneno para o interior do formigueiro, requerendo a “melhoria”, de incluir um bombeamento adicional no tambor.

Modelo: Typo 3

Número: 7661

Ref.: 369-12-B

2 comentários sobre “Máquina de matar insetos / Insect killing machine / Insektenvernichtungsmaschine

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s