O mundo adiante das utilidades mecânicas.

Os objetos expostos aqui no MUMMA, limitados a utilidades manuais, pertencem ao passado, permanecendo apenas como memória virtual ou física em alguns centros de preservação.

Atualmente as máquinas moldam o aço com a mesma facilidade que doceiros moldam o glacê, injetam metais incandescentes em fôrmas contínuas com a mesma facilidade com que se espreme o creme dental, esculpem formas tridimensionais complexas com mais perfeição que os grandes mestres escultores.

Na eletrônica, trilhões de linhas de programação, solucionam incalculável número de problemas e estabelecem situações lógicas para comandos. Armazenadas em bibliotecas virtuais estão disponíveis para uso de todos, algumas para fins muito específicos outras para fins comuns, como por exemplo, um editor de textos. Essas soluções lógicas são incorporadas em todo tipo de artefatos, desde utilidades domésticas, armamentos, meios de transporte, meios de comunicação, máquinas de laboratório de quaisquer tipos, sistemas de controle de qualquer tipo, e quaisquer outros artefatos que requeiram algum tipo de comando.

A Tecnologia da Informação permite a produção de dados e informações bem como seu compartilhamento quase instantâneo em todo o globo terrestre, produzindo a condição de uma integração global entre todos os 7,5 bilhões de habitantes, independente de língua ou localização geográfica. Sistemas capazes de monitorar todo tipo de acesso à internet bem como previsores do comportamento humano trabalham com todos os objetivos, desde comerciais até médicos e policiais.

A união das tecnologias de máquinas-ferramenta, com eletrônica e a tecnologia da informação, que iniciou na segunda metade do século XX, se expande exponencialmente e ainda não se vislumbram limites.

Esta é a época da autonomia das máquinas onde bibliotecas inteiras de linhas de programação, aliados a sensores de altura, tato, velocidade, temperatura, umidade, detecção de objetos, tais como radares e sonares, reconhecimento ótico de objetos e outros sensores garantem cada vez mais autonomia aos engenhos. Essa autonomia é encontrada em armas, veículos militares, veículos civis, máquinas que elaboram pesquisa científica, satélites, robôs, inclusive humanoides e mais uma infinidade de máquinas e equipamentos de todo tipo e função.

Se em aproximadamente cem anos, de 1850 a 1950, houve uma explosão criativa de utilidades mecânicas, agora vivemos no meio de uma explosão criativa de utilidades eletro-eletrônico-mecânicas, iniciada em aproximadamente meio século, cujo horizonte é, ainda, inalcançável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s