Utilidades Manuais Mecânicas. Da antiguidade à contemporaneidade.


As engrenagens, as manivelas, as alavancas e as molas foram inventadas há mais de 2000 anos, ou mesmo muito antes, e são a essência das utilidades manuais mecânicas, tal como o amigo visitante pode constatar observando as peças do MUMMA. Essas utilidades tiveram seu apogeu no período aproximado de 1850 a 1950.

Então é de se perguntar se, em existindo os conceitos e suas aplicações, por que passaram-se mais de dois mil anos para que houvesse uma “explosão” de criatividade. A maioria dos estudiosos atribuem ao surgimento do capitalismo junto com a revolução industrial uma nova forma de organização social com a aglomeração urbana tendo aumentado absurdamente, mudando os hábitos da humanidade. Antes de 1800 a maioria da população mundial vivia na zona rural, algo como 97%, portanto a concentração urbana era irrelevante.

Após o início da Revolução Industrial isso começou a se inverter gradativamente. Atualmente em alguns países a taxa de urbanização passa de 90%, tornando a população rural uma minoria. No Brasil, a população urbana passa de 80% seguindo o mesmo fenômeno. A vida urbana obrigou à mudança de hábitos criando novas necessidades e novos valores sociais. Neste período começam a serem produzidas máquinas que facilitam o plantio, a colheita e o processamento de alimentos, reduzindo drasticamente a necessidade de mão de obra na zona rural e ao mesmo tempo exigindo que os alimentos fossem cada vez mais processados para chegarem à mesa das pessoas.

Houve, portanto, uma inversão de papéis e o surgimento de nova forma de relacionamento da humanidade com os alimentos, a terra, o plantio, a criação de gado, enfim. E tal revolução ocorreu num período muito curto da história humana. As aglomerações urbanas passaram a exigir novas formas de produção e novas ferramentas de gestão. As megacidades são uma exceção na história e para serem viáveis, por exemplo, requerem a produção de quantidade absurda de energia, especialmente da eletricidade e da queima de petróleo. Imagine, caro amigo visitante, cidades como São Paulo, Nova Iorque, Pequim ou Tóquio durante um dia sem energia elétrica. Agora imagine durante uma Semana. Agora imagine durante um mês…

A humanidade, que até o ano de 1800 acumulou um bilhão de seres, viveu sem a energia elétrica e produziu seus alimentos com ferramentas simples, tendo os braços, mãos,  pernas e pés, o uso de animais e algumas quedas d’água como motores. Agora, apenas dois séculos após, com uma concentração de 6 bilhões de pessoas em área urbana, a humanidade é totalmente dependente da energia elétrica.

Esse novo fenômeno também explica a rapidez com que as utilidades manuais mecânicas chegaram ao apogeu e tendem a desparecer por completo: são substituídas pelas utilidades eletro-mecânicas e eletrônico-mecânicas, que por sua vez são protagonistas da produção em massa de alimentos, vestuários e demais utilidades que garantem a vida de vários bilhões de pessoas, de animais e de plantas.

Referências:
http://educacao.globo.com/geografia/assunto/urbanizacao/urbanizacao-mundial.html
http://www.stockmolas.com.br/mola-historia-definicao
http://www.rtc.net.br/um-resumo-da-historia/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cronologia_das_inven%C3%A7%C3%B5es
https://www.em.com.br/app/noticia/especiais/educacao/enem/2015/04/13/noticia-especial-enem,637166/o-principio-da-alavanca-de-arquimedes.shtml
https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/crescimento-populacao-mundial.htm

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s